Familiares com Câncer de Mama


O que preciso saber?

A maioria das mulheres que tem parentes com câncer de mama não desenvolverá esta doença.

Quando desconfiar de que possa haver uma síndrome hereditária de predisposição ao câncer na minha família?

Quando dois ou mais casos de câncer de mama ocorrerem em parentes próximos, com menos de 40 anos, ou nas duas mamas. Um especialista poderá dizer se está indicado o exame genético na sua família. Se indicado, o exame preferencialmente deve ser feito em quem apresentou a doença.

Por que não posso eu fazer o exame sem incomodar meu parente que já passa por problemas suficientes com seu câncer?

Muitas vezes é impossível fazer o exame em quem teve o câncer. Podemos, sim, testar quem nunca teve câncer, mas o exame pode perder muito do seu valor se não soubermos o resultado do teste em quem teve o câncer.

Para tentar explicar: nós temos cerca de 20 mil genes e os testes mais abrangentes atualmente pesquisam até 100 genes. Isso quer dizer que há vários outros genes que ainda não são testados porque não sabemos onde eles estão por enquanto. Portanto, um teste positivo (gene culpado) em uma pessoa que não teve câncer sempre traz uma informação nova e importante independentemente do parente ter sido testado ou não.

Agora, se o parente com câncer já foi testado e veio com um teste positivo (achamos o gene culpado), o teste negativo da pessoa sem câncer nos traz muita tranquilidade pois já pesquisamos o local onde o gene deveria estar e não encontramos nenhum defeito. Porém, um teste negativo de uma pessoa que não teve câncer e seu parente não foi testado não nos traz tanta tranquilidade assim, pois quem disse que estamos procurando nos lugares certos? E os outros milhares de genes ainda não elucidados? Daí a importância de sempre se discutir com o parente afetado a realização do teste quando indicado e quando possível. E por que eu iria querer saber se tenho chance aumentada de desenvolver câncer? Não é melhor seguir fazendo meus exames e torcer para que não aconteça comigo?

Se você tiver chance aumentada de desenvolver câncer (isso não quer dizer que desenvolverá), você pode se beneficiar do uso da ressonância magnética das mamas além da mamografia de rotina. Você também pode se beneficiar de remédios para diminuir sua chance de câncer de mama pela metade. Até a retirada das mamas com reconstrução na mesma cirurgia pode ser uma opção se a chance de câncer for bem alta. Não é simplesmente saber por saber, é saber para agir.

Dr. Daniel Meirelles Barbalho